quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Meu filho está crescendo: Desenvolvimento e crise

Olha como cresceu e engordou! Com 7 dias pesando em média 3,600kg e 49cm e com 74 dias medindo em media 62cm e 6,500kg.
a cada dia que passa mais fica mais apaixonante ser mãe...

Meu bebê já: 
- dorme a noite toda, 
- vocaliza muitos sons diferentes, 
- pega objetos, 
- segura com firmeza, 
- sustenta bem a cabeça tanto em pé como de bruços, 
- ele olha tudo e todos, 
- procura sons 
- adora desenhos animados,
- ri muito,
- se dá bem com todo mundo,
- pensa que sabe andar kkk

                   7 dias                                                 74 dias
  

Mas mesmo com tantas coisas gostosas acontecendo, sinto que ele está passando pela crise dos três meses (já?) pois ele só quer colo, ele ainda dorme bem, mas se ele percebe que não estou no quarto com ele, já acorda chorando. Os sintomas são esses:

(Pietro ainda não tem 3 meses, mas não é regra acontecer tudo na mesma data né..)

A crise dos 3 meses

Com o tempo, o seio se enche e elimina o leite com mais facilidade e o bebê suga mais intensamente. Conclusão: a sucção fica mais eficaz e o tempo de mamada pode diminuir sensivelmente. Ao contrário do que a mamãe possa pensar, o bebê não está mamando menos, tanto que, quer seja por livre demanda (o ideal) ou não, o intervalo das mamadas se mantém ou até aumenta.

Além disso, aos 3 meses, quando o bebê começa a enxergar melhor, quem ele vê? Sua mãe. E ele se diverte assim; e ela também. Nesse momento, o bebê começa a ter a percepção que ele não é parte da mãe, mas sim um ser diferente dela, muito próximo dela, mas não é parte dela. Ou seja, o bebê tem a percepção do primeiro outro. Sua mãe.

E a "consciência" de que existe um ambiente visível, audível e palpável, além do olhar e do seio materno pode, por exemplo, distraí-lo durante uma mamada. Como se concentrar se há tantos estímulos, tanto para conhecer?

Mais um dado que contribui para a preocupação materna é que, associado ao menor tempo de mamada acontece uma diminuição do ganho de peso e um enchimento de seio não tão intenso quanto no início. E, muitas vezes, essa insegurança faz com que mães, pais, avós e até pediatras introduzam fórmulas infantis para complementação alimentar. Uma vez constatado que o bebê está clinicamente bem, vamos todos respirar bem fundo e raciocinar.

Se um bebê que nasceu com 3 kg (média) ganhar 1 kg todos os meses, ao final de 1 ano ele estará pesando... 15 kg. A média de peso esperada para 1 ano de idade é de 9 kg (em média, segundo a mais recente tabela de 2006 da OMS). Assim, em 1 ano, esse bebê tem que ganhar 6 kg. E se nos primeiros 3 meses ele ganhou 2 a 3 kg, sobram 3 a 4 kg para ele ganhar nos próximos 9 meses. Assim, fica matematicamente comprovado que o bebê deve diminuir (e muito) seu ganho de peso mensal para que ele não inicie, desde muito cedo, seu processo de obesidade infantil.

Mas, se durante o dia, essa situação nova, apesar de incomodar um pouco a mãe, é solucionada com o tempo e com as consultas e explicações do pediatra, as noites podem não ser tão inofensivas assim. Afinal, a criança que dormia quase a noite toda pode começar a acordar mais vezes e, na maior parte das vezes, as mães encontram apenas uma explicação: fome. E por quê? A criança chora algumas vezes. A mãe vai lá e ela para. A mãe sai e a criança volta a chorar e só se acalma quando, depois de muitas idas e voltas, ela mama. Mas isso é mesmo só e principalmente fome?

Nananinanão. Esta é a segunda crise de desenvolvimento e de angústia do bebê. O bebê vai sugar, sempre que o seio for oferecido, mesmo sem fome, porque isso representa estar novamente de volta à segurança do primeiro trimestre, quando mãe e bebê eram um só.

Se a mãe tiver a consciência de que isso é transitório, e tiver o suporte da família, e conseguir entender que é realmente ela quem tem que atender esses choros noturnos do bebê, e todos à sua volta a apoiarem nessa fase, em média, após 15 dias, a rotina tende a se restabelecer e todos poderão retomar suas vidas noturnas saudáveis, com um sono contínuo, sem que esse bebê tenha que ter sido medicado.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Primeiro dia dos pais!

Que alegria nosso primeiro dia dos pais! Encomendei num site de fotos um cartão gigante sem o Dario saber e no dia dos pais vesti o Pietro com seu body escrito eu amo o papai e entregamos seu presente!
Ele ficou todo feliz, passamos o dia juntos e Dario aproveitou bem ao lado do filhão, deu banho, brincou...
Tiramos muitas fotos!








quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Segunda visita ao pediatra

Ontem fomos ao pediatra, o Pietro está se desenvolvendo muito bem!
Achei que ele não tinha engordado muito mas é porque ele cresceu também, ele está com 58 centímetros e 5.650 kg - uma gostosura!!

Ele está com duas feridinhas no bumbum (pela segunda vez) e e já descobri a causa: o lenço umedecido!
Certa madrugada precisei trocar suas fraldas mas havia acabado o algodão, então acabei usando os lencinhos, e não de outra: apareceu uma leve assadura e depois passou e formaram 2 feridinhas, que dó que dó!!!

Mas o pediatra disse que é comum a alergia à lenços umedecidos e disse para eu usar a pomada bepantol até elas desaparecerem e prosseguir com dermodex tratamento.

Ah! E sempre LAVAR o bumbum a cada troca, e não apenas limpar, pois isso também causa assaduras!
Eu já vinha lavando durante o dia e a noite eu limpo com algodão embebido na água, pois aí é judiação dar banho de madrugada, né? O pediatra disse que desta forma está ok, então ótimo!

Meu pitquinho está super sapeca, presta atenção em tudo, adora "conversar" e a nova: colocar a mão na boca rsrs. Ele tem abominado a chupeta, cospe longe e faz cara de nojinho haha.

Olha só a cara dele que maravilindo!!!